Dia 21/06 – Mais Samba, Eda Costa, Marina Machado e Cristiano Cunha

Projeto + Samba

Lucas Telles, Lucas Ladeia, Abel Borges, Leonardo Brasilino e Digão Nardel formam o time que gravou com Marku Ribas seu último álbum, lançado em 2013. Hoje em carreiras solo, os instrumentistas reúnem-se, neste projeto, para apresentar canções do CD, homônimo, com repertório de canções criadas à época ou produzidas por Marku na década de 1970. No Festival Minas canta Marku, o músico Cristiano Cunha participará do grupo.

Marina Machado

Participou do álbum Pietá, de Milton Nascimento, com quem seguiu em turnê mundial, de 2003 a 2005. Foi a primeira cantora a ser lançada pelo selo de Nascimento, com o aclamado Tempo Quente (2008). Antes disso, gravou dois álbuns solo, Baile das Pulgas (1999) e Marina Seis Horas da Tarde (2002). Experimentos com musicais de rua culminaram com a criação da Companhia Burlantins, parceria entre Marina Machado, Regina Souza e Maurício Tizumba. Atualmente, circula com projeto especial, em parceria com a cantora Celinha Braga.

Eda Costa

Preparadora vocal, professora de voz e expressão e de história do teatro negro, no Arena da Cultura, Eda Costa coordenou, preparou e regeu o Coral Agbára – Vozes d’Àfrica, de música Yorùbá. Em 2015, estreou, com o Grupo de Teatro Olho da Rua, o espetáculo “Memórias de Bitita – O Coração que Não Silenciou”. Estreou no cinema em Um outro Homem, do diretor Willy Biondani. Em 2016, na Áustria, estreou o espetáculo “Samborubá”, acompanhada pelo grupo austríaco Brazilian love affair. No mesmo ano, apresentou o show “Salve o Samba”, em Linz.

Cristiano Cunha

Em seu primeiro álbum, Pro fim do inverno, o cantor, ator e compositor mineiro Cristiano Cunha pesquisou o Filín, estilo de Cuba que investiga a figura do ator-cantor, com o percussionista cubano Santiago Reyther, paralelamente à sua formação em teatro. O projeto tem produção musical e arranjos do também cubano Yaniel Matos e articula a música de Cuba com ritmos de manifestações brasileiras como o Samba, o Congado Mineiro e Candomblé. Atualmente trabalha seu solo de teatro “Retorno de Saturno” que tem direção de João Filho e o show “48minutos” que reúne canções de sua produção mais recente e inaugura novas parcerias com o escritor e antropólogo Renato Jacques e a cantora paulistana Fabiana Cozza. Para este trabalho, estuda a semelhança entre fundamentos da música tradicional de terreiro e a música eletrônica, baseado na repetição, no improviso e na percussão corporal.

Horário dos Shows

20:00hrs