Dia 20/06 – Pedro Morais, Toninho Horta, Banda Black Jack 21 e Bauxita

Toninho Horta

Compositor, instrumentista, cantor, arranjador e produtor, Toninho Horta é mineiro de Belo Horizonte. Crescido em família de músicos, é neto de João Horta, maestro de bandas e compositor de música sacra e popular do período do Barroco Mineiro. Autodidata, tornou-se profissional aos 16 anos, apresentando-se em festivais e acompanhando cantoras em programas de TV. Foi um dos destaques do famoso “Clube da esquina”, também formado por Milton Nascimento, Lô Borges, Beto Guedes, Wagner Tiso, Fernando Brant e Márcio Borges.

Pedro Morais

Cantor, compositor e instrumentista, o músico representa a cena contemporânea autoral de Minas Gerais. Em 2006, produzido por Luiz Brasil e Flávio Henrique, lançou o primeiro disco, homônimo, e despontou no cenário local como talento promissor. Em 2010, lançou Sob o Sol, já com produção do renomado Chico Neves. No fim de 2013, com produção de Gustavo Ruiz, foi a vez do álbum Vertigem.  Seu último trabalho, de 2017, é Poema norturno, no qual canta Carlos Drummond de Andrade.

Bauxita

Ronald Hércules Messeder Esquerdo era conhecido, na infância, como Roninho, e, na adolescência, virou o “Bauxita”. Com timbre e personalidade marcantes, o músico esteve à frente de diversas bandas, e chegou a lançar trabalho solo. Consagrou-se no cenário belo-horizontino de rock, apresentando-se nas principais casas noturnas da capital, nos maiores festivais de rock de Minas Gerais e em programas de rádio e TV. Contemporâneo, amigo e parceiro de grandes artistas do cenário musical mineiro, é reconhecido e elogiado por todos, pela irreverência e pela voz singular.

Banda Black Jack 21

A banda Black Jack 21, formada 2010 em Uberlândia (MG), possui bagagem musical e cultural vasta que é refletida em um som preciosista e aprofundado nas raízes ancestrais que transmite a verdadeira alma do blues.  Em sua trajetória, o grupo lançou um DVD gravado no London Pub.  Em 2013, participaram do longa-metragem Ópera Blues, que mistura linguagens de ficção, videoclipe, documentário, comédia, drama e musical. Para o show em Belo Horizonte a banda se apresenta com Maurício Winckler (voz e guitarra), Jack Will (bateria) e Maria Bastos Perdomo (voz).

Horário dos Shows

20:00hrs

Dia 19/06 – Barranqueiros convidam Célio Balona e Titane

Barranqueiros

Geovanne Sassá, Marcio Levy, Pedro Braga e Priscila Magella fazem da musicalidade do povo do Vale do São Francisco a conscientização do público que os ouvir, em relação à importância não apenas das águas “franciscanas”, mas, principalmente, das águas como tema, e como necessidade vital aos seres humanos. Os artistas apresentam espetáculo expressivo, por meio de músicas, danças e poemas a ecoar a voz de seu povo.

Célio Balona

Músico mineiro, é compositor, arranjador, tecladista e acordeonista. Aos 15 anos, já atuava como profissional em orquestras de baile. Na década de 1960, ao lado de Nivaldo Ornelas e Wagner Tiso, formou o primeiro grupo musical. Gravou vários discos e participou de festivais no Brasil e exterior. Tem sete discos e cinco CDs lançados. Atualmente, apresenta-se com seu grupo em shows de música instrumental e compõe trilhas sonoras para cinema, balé e teatro. É curador e um dos idealizadores do Festival Internacional de Acordeon.

Titane

Intérprete por excelência, Titane lança mão de diferentes fontes sonoras para compor, com segurança e personalidade, seu universo musical. Com mais de 30 anos de carreira, sempre pilotada a partir de Minas Gerais, seu estado de origem, canta, dirige musicais e cria espetáculos cênico-musicais, sempre dedicados a autores de diferentes matizes da música brasileira, em diálogo com sonoridades advindas das múltiplas culturas do Brasil. Em 2019, circula com o show de lançamento de seu mais recente álbum, Titane canta Elomar.

Horário dos Shows

20:00hrs